(Desaba)fo.

20:20


Eu precisava ir, falar tudo aquilo que sempre quis, tudo o que estava guardado. Busquei coragem lá no fundo, fui juntando com o apoio que recebi das amigas e fui!

- O que faz aqui? - Por que ele tinha que ser tão galante?
- Eu preciso dizer umas coisas que estão engasgadas. - Eu mal conseguia falar, meu Deus onde foi parar minha voz?
- Diz aí - ele parecia não se importar mas eu também demonstrava isso, o que tinha a perder? Pois é, nada! Respirei fundo e falei, tão disparadamente que parecia não ter mais fim.
- Eu não sei o que você tava pensando quando me pediu pra te esperar e pior ainda, eu não sei o que EU estava pensando quando me submeti a acreditar em você. Mesmo depois de tudo o que tinha me feito eu acreditava em você, porque eu sentia tanto que achava que dava pra nós dois. Mas não se pode dividir um sentimento, não se pode dividir a alegria que eu sentia ao estar contigo enquanto pra você era só mais uma que enganava. - Ele tentou falar e eu interrompi, imagina só se eu escuto aquela voz doce e rouca dele dizendo pra eu parar e que nada disso era verdade. - Deixa eu terminar! - Finalmente tinha parado de tremer, as palavras saiam com sentido - Olha pra você e olha pra mim, sempre fiz algumas comparações e em todas eu me colocava pra baixo. Agora eu sei que sou completa, que sou autossuficiente para não precisar de alguém principalmente se esse alguém não quiser estar comigo. Eu ensaiei tanto pra tá aqui agora, pra falar a verdade eu ia te xingar, sério até vim treinando as palavras que mais te machucariam... Mas não vou me igualar a você. Só quero que saiba que me machucou demais e te peço que não machuque mais ninguém, que aprenda a ser um homem e satisfaça a próxima que virá. Obrigada pelos poucos momentos de felicidade que me favoreceu.

Eu tinha conseguido, fui embora e não olhei para trás. Entrei no carro, andei menos de 2 km e parei. Chorei, é chorei. Chorei até não sobrar mais lágrimas e deixei que a cada lágrima que caísse levasse o que um dia senti por ele, desde amor a ódio e a única coisa que sinto é vontade de viver. Sem olhar para trás, sem recaídas, sem você.

Você também pode gostar

0 comentários