DIGA...

19:14





Olho em volta e observo esse vazio imenso que me envolve, não consigo explicar pra mim mesma o porquê não fujo dele, me apeguei a isso. Fico aqui sentada no meio dessa sala imensa tentando encontrar desculpas para dar sentido a essa situação toda, não encontro, não penso em nada, os pensamentos se embaralham e me fogem.
É impossível não pensar que estragamos tudo, estávamos bem, eu estava bem. Não sei você, mas eu poderia seguir sem tudo isso. Agora parece tudo tão estranho por aqui, nada é como era antes. É difícil sentir saudades, é difícil quando a saudade não é sua, é de quem você costumava ser, ou de quem eu achei que você fosse.
Às vezes a gente precisa parar de fazer coisas que sabe vai se arrepender no dia seguinte, coisas que por mais que não estejam certas ou erradas você sabe o mal que estão te fazendo. Mas antes, precisamos parar de desejar que elas aconteçam, não adianta saber que faz mal se você continua alimentando o vício.
      Não há uma única vez que eu não me pergunte por que eu deixei você ir embora de novo sem dizer tudo aquilo que eu fiquei dias e dias repassando na minha cabeça pra te dizer, mas aí mais uma vez você foi embora e eu fiz cara de paisagem sem nem saber se você vai voltar.
A verdade é que você aparece, num dia aleatório, com meias palavras, e sem aviso nenhum. Eu com palavras inteiras na ponta da língua te deixo voltar, outra vez não digo nada. E por mais que aquele momento em que você está aqui me pareça bom, o vazio que fica assim que você sai é muito maior do que o que já havia antes.
Não se trata de você meu amor, se trata do que nos tornamos, do que fizemos com nós mesmos, poderíamos ser melhores do que isso. Aqui, sentada nessa sala vazia, percebo que somos capazes de amar e somos capazes de dizer aquelas palavras que nunca dissemos. Talvez você não as diga pra mim como eu espero, talvez eu descubra que eu não preciso ouvi-las, só o tempo dirá. Mas não demore, já estou cansada de me cansar.

“Às vezes as pessoas fazem jogo duro porque precisam saber se os sentimentos do outro são reais”


Às vezes você só tem medo de sentir demais...

Você também pode gostar

0 comentários