Última carta a você.

00:49

Qualquer semelhança com a vida real é, talvez, pura coincidência. 

É a última vez que te escrevo, me prometo. E já vou começar declarando, não pouparei verdades ou palavras. 
Sempre fui de amores intensos, brigas devastadoras e paixões arrebatadoras. Por mais que eu odiasse extremismo, eu era assim, o que mais poderia fazer? Já dizia Clarice Lispector: "Não suporto meios termos." 
Não sei quem te ensinou a amar, nem sei como te amaram antes, mas querido, o amor não é um jogo. E se for para trata-lo como tal, aposte todas as suas fichas para jogarmos juntos e não um contra o outro. Ninguém termina uma relação discutindo quem está saindo por cima, todos acabam perdendo um pouco, se perdendo um pouco. Ao menos foi assim comigo. Não apenas me doei para esse sentimento, como me entreguei por inteira, o meu coração apenas habitava em mim, mas batia por ti. 

Você também pode gostar

10 comentários

  1. Perfeição define. A senhora destrói. Consegue deixar minhas palavras tão rasteiras KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK MARAVILHOSA <3

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo escrito, fico muito feliz e orgulhoso de ser seu amigo, de lhe conhecer, e perceber seu crescimento literário a cada escrito, ou melhor dizendo a cada suspirar das letras em suas mãos.

    Parabéns Hellen.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awwn, que lindo! Muito obrigada, Max ♥ Assim você me faz chorar :')

      Excluir
  3. lindo, usa as palavras com tanta leveza e praticidade q me orgulha <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senhor Jesus, eu tô morrendo do coração!!!! ♥ Obrigada thory ♥♥

      Excluir