As incontáveis tentativas de ir.

21:51

Em primeiro lugar, você deveria ler o texto ouvindo essa maravilhosa música: 




large (8)
Acho que gosto de sentir dor, porque nada mais explica o fato de eu sentir a sua falta ao ponto de te procurar novamente mesmo que em relutância comigo mesma. Penso repetidas vezes no que você me disse aquele dia, com a sua voz ainda rouca depois de tanto gritar para mim, colocando o peso do mundo e da quebra de suas expectativas em meus ombros, como se eu fosse culpada pela imagem que criou de mim; como se eu fosse culpada por você ter se apaixonado por alguém que não era eu. "Você não é apenas insensível, como também desprezível, é uma pena que eu tenha notado tarde demais", o que eu tinha feito àquele rapaz de tão ruim?
Não peguei em sua mão e o conduzi para a confusão que ele mesmo criou com a sua projeção de uma eu perfeita. E como naquela noite, quando você me ligou inúmeras vezes porquê não conseguia dormir e precisava reafirmar o seu ódio por mim - chegando a deixar a caixa postal cheia de mensagens -, e eu te atendi uma única vez, só pra te dizer que eu sempre fui uma bagunça e deixei claro as tantas vezes que você insistia em me colocar num pedestal ou agarrava-se à ideia que um dia eu iria mudar 'como a água assim que se joga uma pedra, ela fica agitada mas uma hora ou outra se acalma'.
Eu não vou pedir perdão por suas ilusões e expectativas, eu não vou me desculpar por acabar com algo que nunca existiu, ou morrer de chorar porque uma imaginável eu, em alguma realidade paralela, deveria ser tão apaixonada por você quanto você foi por ela; já que por mim, a eu da dimensão real, não foi "capaz" de se entregar ao seu amor ou de merecê-lo, e foi aí que eu percebi que a pessoa dos seus sonhos não estava em mim, era algo que só você via, mas que continha a minha imagem ou alguns traços dela. Então resolvi sair desse relacionamento multidimensional e por inúmeras vezes me via presa novamente com medo de machucar você, algo que sempre foi de extrema importância pra mim, o seu eu real, sem imaginações ou realidades paralelas, mesmo que não fosse caidamente apaixonada por você, você era importante na minha vida de alguma forma, só não da esperada.
E assim, após incontáveis tentativas de ir sem te machucar, eu abri caminho entre esses mundos e me pus para fora, podendo respirar leve novamente e me sentir livre como há muito tempo não havia.

Você também pode gostar

0 comentários